PERNAMBUCO: Pesquisa traçou o perfil dos servidores do MPPE

0
661

Pesquisa apresentou que 91% dos servidores considera sindicalização fundamental

Uma pesquisa encomendada pelo Sindsemp/PE à Norte Pesquisa traçou o perfil dos servidores do MPPE sobre diversos temas da atualidade, como sindicalização, saúde, aborto, porte de arma, entre outros. O objetivo da entidade é guiar um plano de intervenção capaz de apontar possíveis ações exitosas dentro da categoria.

No total, 355 servidores do MPPE de um universo de cerca de 700, lotados na RMR e cidades mais representativas do interior do Estado, foram entrevistados. Foram considerados pontos como escolaridade, idade, família, moradia, trabalho e renda; religião, participação política e sindical, lazer, além de informações da categoria sobre as ações e serviços prestados pelo Sindicato e o nível de satisfação dos servidores quanto a isso. Também foram conhecidas as maneiras como os trabalhadores acessam as informações da entidade sindical que os representa, se por internet, jornais, site, redes sociais, entre outros.

Principais conclusões

Entre as principais conclusões da análise, segundo os trabalhadores, estão os problemas enfrentados diariamente com o tempo e as condições do deslocamento casa/trabalho/casa, baixo incentivo à categoria, condições de trabalho inadequadas e alguns problemas de saúde, como stress, dores de coluna e de cabeça, sendo esta última mais presente entre as mulheres que exercem o cargo de Analista Ministerial.

Para 91% dos entrevistados, a organização sindical é considerada muito importante e o principal ponto que destacaram foi a defesa da categoria. Entre os pontos que precisam melhorar para a grande maioria está à comunicação que ainda não chega com eficiência para todos e a oferta de mais serviços e convênios. A ampliação da base na diretoria do Sindicato foi tida como positiva pelos pesquisados.

Rejeição ao governo federal e estadual

Quando o tema é a atual política brasileira, uma grande parcela dos servidores rejeitaram o governo do presidente Bolsonaro com 58% classificando como ruim ou péssimo.

Quanto à administração do governador Paulo Câmara, o índice de rejeição também foi alto ficando na casa dos 45% para ruim ou péssimo. Os entrevistados também se mostraram bastante insatisfeitos com o funcionamento da democracia no país.

Já para o sistema de cotas de alunos oriundos de escolas públicas estabelecido pelo Governo Federal, os servidores se mostraram favoráveis. Da mesma forma, a maioria é a favor do direito ao aborto em casos de estupro e risco para a mãe, e ao direito ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. Por outro lado, existe forte resistência para a pena de morte, a liberação da posse de armas e a privatização da Petrobrás.

Confira, em gráficos, alguns resultados da pesquisa:

Assessoria de Comunicação

C/Informações da FENAMP

27/09/2019 12:10:05

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here