Nas negociações do PCCS, a participação da categoria será fundamental

0
156

Direção do Sindicato destaca que é fundamental que todos os servidores acompanhem os debates e se manifestem quanto a proposta. Posição final será da categoria.

Na segunda-feira, 5 de agosto, representantes das entidades de servidores do MPRS estiveram reunidas com a administração do MPRS para dar início às negociações do PCCS. No encontro foi apresentada a proposta do MP e destacado que se trata de uma proposta inicial, a ser avaliada pelos servidores.

O presidente do SIMPE-RS, Jodar Pedroso, destacou que a administração iniciou falando sobre o contexto político, reiterando que o momento é desfavorável a qualquer projeto com impacto financeiro, de qualquer dos poderes, mas que há espaço para negociação. (Veja a live AQUI).

Buscar melhorias

Em sua fala, o Dr. Ben Hur pontuou que reconhece que não é a proposta dos sonhos, “nem mesmo dele”, mas que representa o que é possível de apresentar. “As circunstâncias levaram a apresentar a proposta que temos hoje”, destacou, acrescentando que os parâmetros serão os do Tribunal de Justiça (TJRS). O texto apresenta a aglutinação de todos os cargos em dois: Analista Superior e Técnico de Nível Médio, o que prevê a extinção dos atuais cargos de nível fundamental, médio e superior.

Segundo Jodar, em que pese a proposta não atender a expectativa do Sindicato, é fundamental neste momento ter um pouco de calma, buscar melhorias e chegar ao final da negociação com uma proposta melhor. “É este espaço que os servidores devem aproveitar para debater e defender seus pleitos em relação ao plano de carreira”.

Com a proposta do MPRS em mãos, as entidades terão até o dia 20 de agosto para analisar o documento e fazer as considerações. Após esta data será realizada uma nova reunião entre a administração e as entidades para dar continuidade às negociações do PCCS. O objetivo da administração do MPRS, conforme explicitado na reunião, é ver o PCCS aprovado na Assembleia Legislativa até o final do ano.

Democratização do debate

O dirigente sindical destacou também a necessidade da democratização do debate. “Estamos socializando a proposta com a categoria e através das lives do Sindicato (que iniciaram na própria segunda – dia 5 – e se prolongaram durante toda a semana), procuramos ampliar e democratizar o debate, lembrando que a proposta colocada é um ponto de partida. Vamos construir uma contraproposta de forma coletiva com as demais entidades e a final será a que for definida pela categoria”, ponderou ele.

Jodar garantiu que o processo será o mais amplo possível, disponibilizando a apresentação, o sistema de consulta, os roteiros, submeter pelas redes sociais e fazer o processo de forma absolutamente  transparente, garantindo a indispensável participação dos servidores.

Mas lembrou que os servidores também têm pressa, considerando que a negociação do governador Eduardo Leite com o governo Federal em relação ao  Regime de Recuperação Fiscal poderá impedir o envio de projeto por parte dos chefes de poderes durante três anos.

A presidente da APROJUS, Carmen Jucinara da Silveira Pasquali , que participou da reunião com a administração e de uma das lives do Sindicato, avaliou como positivo o espaço criado para construir uma contraproposta.

Confira:

  1. Proposta de Projeto de Lei;
  2. Apresentação do PCCS.

Assessoria de Comunicação

09/08/2019 11:58:24

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here