Feira dos Sonhos: “a página está em branco, a caneta em suas mãos”

0
147

“Um sonho em forma de arte”. Com este slogan, o projeto Feira dos Sonhos busca estender uma experiência social e cultural e também promover o fortalecimento na autoestima de crianças e adolescentes em situação de acolhimento no Município de Porto Alegre. O Projeto, idealizado pelo servidor Cesar Krebs, da Corregedoria-Geral de Justiça do TJRS, foi oficializado no último dia 25, em solenidade no Palácio da Justiça, em Porto Alegre.

O Projeto compreende a publicação de um livro com textos e desenhos, bem como a exposição de fotografias, todos de autoria das crianças, jovens e adolescentes dos programas de acolhimento. Atualmente, são cerca de 850 acolhidos num total de 90 casas de acolhimento.

O Feira de Sonhos visa oportunizar para estas crianças e adolescentes uma experiência social e cultural enriquecedora, que possa ser marcante em suas vidas, de forma a incentivá-los à prática da leitura, literatura e da produção artística.

A ideia é proporcionar aos participantes uma vivência de realização pessoal, de modo a fortalecer a sua autoestima, bem como disponibilizar-lhes um espaço de socialização para além da convivência na entidade de acolhimento, em um local público histórico da cidade. Por isso, a publicação é lançada na Feira do Livro, em Porto Alegre, o que também contribui para conscientizar leitores e público em geral sobre a importância da adoção.

Lançamento na Feira do Livro

O livro com os textos e imagens dos jovens terá sessão de autógrafos na Feira do Livro, que acontecerá entre os dias 1° a 17/11, deste ano. Cada candidato poderá participar de apenas uma das seguintes categorias: Redações (14 aos 17 anos), Desenhos (8 aos 14 anos) e Fotografias (12 aos 17 anos). As dissertações (até 30 linhas) e as ilustrações deverão tratar de motivações e expectativas dos autores, os quais deverão expressar sentimento, anseios, receios e aspirações para o futuro, com o seguinte tema: “A vida é como um livro com muitas páginas em branco. Há páginas, contudo, que não são escritas por nós, como algumas que contam a história da nossa infância. Nessa fase da vida, em geral, não fazemos escolhas, sofremos os efeitos de decisões alheias. Resta-nos enfrentar uma realidade praticamente imposta.  Essas páginas são importantes? Sim, mas há outras que são mais: as páginas em branco, que representam a história que queremos escrever sobre nós mesmos, o nosso futuro, as nossas escolhas, que serão fruto dos nossos sonhos. E essa história pode ser muito diferente daquela que já está escrita.  Escreva ou desenhe sobre os seus sonhos, suas expectativas, seus receios, seus sentimentos diante do futuro. 
As páginas estão em branco. A caneta está em suas mãos; então, “à obra!”

A entrega do material está prevista para acontecer no dia 16/8 e o lançamento do livro e exposição das fotos com sessão de autógrafos ainda não possui data definida.

Para conhecer mais sobre o projeto acesse http://www.tjrs.jus.br/feira-de-sonhos/

Assessoria de Comunicação

30/07/2019 16:18:26

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here