Governador define Dallazen como PGJ para o biênio 2019/2021

0
176

Apesar de ter 15 dias para definir o nome do novo Procurador-Geral de Justiça (PGJ) para o Ministério Público do RS (MPRS), o Governador Eduardo Leite reconduziu ao cargo, em decisão na quarta-feira (22), por mais dois anos (2019/2021), o atual Procurador-Geral de Justiça, Dr. Fabiano Dallazen. Ele foi o mais votado da lista tríplice para Procurador-Geral de Justiça entre os membros. O resultado final mostrou que o escolhido recebeu 410 votos (50,9%), seguido de perto por Márcio Schlee Gomes, que obteve 342 votos (42,4%). Por último ficou Luiz Henrique Barbosa Lima Faria Corrêa, 54 votos (6,7%).

Já entre os servidores, na eleição paralela realizada pelo Sindicato, Dallazen ficou em segundo lugar, com 68 votos (8,55%) e Márcio Schlee Gomes, recebeu 674 voto (84,7%) do total de votantes. A votação dos servidores foi realizada em todo o Estado, através de voto eletrônico e em urnas volantes que passaram em mais de 60 promotorias e locais de trabalho.

O presidente do SIMPE-RS, Jodar Pedroso Prates, destacou a oportunidade da eleição para que os servidores se tornassem visíveis e expressassem o descontentamento com situações que afetam diretamente a categoria, como a não implementação de um plano de carreira, por exemplo. “Estamos mais conscientes, mais mobilizados, mais fortes. Os colegas estão de parabéns. Desejo ao Procurador-Geral de Justiça, uma administração profícua e baseada no diálogo. Lembremos que ainda há uma promessa a ser cumprida”, disse ele, referindo-se ao fato de que Dallazen, na eleição de 2017, se comprometeu com a categoria a implementar, em sua gestão, o PCCS.

Jodar também avaliou que a escolha do governador, que respeita a decisão dos membros, é boa porque mostra ao menos uma disposição de interferência menor na instituição, no que diz respeito a sua gestão. Mas lembra que os servidores também deveriam ser ouvidos. “Nossa luta é para que em breve os servidores possam votar efetivamente e possam contribuir para que esta escolha represente de fato a vontade da maioria dos integrantes da instituição”, disse ele. O dirigente frisa que hoje o órgão tem cerca de 1750 servidores efetivos e menos de 700 membros e a escolha, portanto, é feita por menos de 50% do pessoal efetivo.

A partir de agora, o Sindicato retomará o diálogo com a nova gestão e espera que a proposta de Plano de Carreira, Cargos e Salários que a administração afirma ter pronta, seja apresentada no mês de maio, conforme anunciado ainda em fevereiro.

Jodar afirma, ainda, que a categoria continuará lutando para que possa votar para a formação da lista tríplice, através da aprovação da PEC do Voto (PEC 147/2015), que prevê a participação efetiva dos servidores no processo eleitoral dos ministérios públicos em todo o Brasil. “Esta proposta tem o apoio de todos os sindicatos do país e vamos lutar para que ela se torne uma realidade”.

Até que a PEC seja aprovada, o dirigente afirma que o Sindicato continuará realizando a eleição paralela, como instrumento de manifestação dos servidores do desejo de contribuir sobre os rumos da instituição.

Por fim, o Sindicato parabeniza o escolhido e deseja uma gestão de sucesso, que mantenha o MPRS nos patamares de eficiência que tem hoje e que valorize os servidores, que são também os grandes responsáveis pelos resultados do trabalho do Ministério Público para a sociedade.

Assessoria de Comunicação

22/05/2019 14:31:38

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here