“Estamos no caminho certo”, diz presidente do SIMPE-RS sobre lutas da categoria

0
299

Em mais uma semana de roteiros, desta vez com visitas as promotorias de Butiá, Rio Pardo, Cachoeira do Sul, Restinga Seca, São Sepé, Caçapava do Sul e Encruzilhada do Sul, dirigentes do SIMPE-RS reuniram com os servidores, debateram temas de interesse da categoria, realizaram novas sindicalizações e, principalmente, trataram dos encaminhamentos referentes ao PCCS e convidaram os colegas a participarem das eleições paralelas de PGJ.

Segundo o presidente do Sindicato, Jodar Pedroso, a acolhida e o interesse da categoria nos encontros com o Sindicato são demonstrações extremamente importantes da assertividades da iniciativa. “Foram centenas de quilômetros rodados entre ontem e hoje (quarta e quinta-feira, dias 10 e 11/04) e sete promotorias visitadas. Nos encontros, tivemos conversas muito produtivas e várias sindicalizações. É muito interessante e apropriado conhecer as realidades dos colegas e saber que, mesmo distantes, estão atentos ao que tem acontecido. É ótimo olhar nos olhos dos colegas e ver o prazer que existe em nos receber. Isso nos dá a certeza de que estamos no caminho certo”, avaliou ele, acrescentando que é somente com a consciência de classe, que só aumenta, e com maturidade que a categoria chegará ao tão sonhado patamar de respeito e valorização perseguida há anos.

De fato, os roteiros têm sido uma prática do Sindicato, com objetivo de aproximar cada vez mais a entidade da categoria, mas não só isso. Estas visitas também servem para levar informações atualizadas para os servidores, ouvir suas sugestões, esclarecer dúvidas e debater a importância do fortalecimento da entidade sindical, especialmente num momento de descaso do MPRS com as reivindicações da categoria e ataques do governo ao conjunto do funcionalismo.

A reforma da previdência, por exemplo, ataca duramente a classe trabalhadora, mas especialmente os servidores públicos. Misturando alhos com bugalhos e jogando todos numa mesma cesta, tenta convencer a população com o discurso dos privilégios para rebaixar direitos, aumentar contribuições e adiar para nunca as aposentadorias dos servidores.

Paralelo a isso, o governo cria mecanismos de fragilização dos sindicatos, atacando as entidades em sua sustentação financeira, com claro objetivo de impedir qualquer reação e resistência aos ataques que vem sendo perpetrados contra a classe trabalhadora.

Neste sentido é fundamental a unidade dos servidores, as sindicalizações e o fortalecimento do sindicato, como principal instrumento de organização da categoria para resistência às tentativas de retirada de direitos.

Os roteiros devem continuar nas próximas semanas, com objetivo, ainda, de mobilizar para as eleições paralelas e a assembleia geral que está agendada para o dia 31 de maio, com indicativo de greve.

Assessoria de Comunicação

12/04/2019 12:21:08

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here